terça-feira, 26 de maio de 2009

NÃO

Todo es mentira
los álamos y las columnas se derrumban
la música desaparece de las flores
las flores desaparecen
se derrumban

LA HABITACIÓN - Ximena de Tavira


Não sinto mais o meu corpo. Nos meus pés as plantas estão cheias de bolhas. As palavras nunca significaram nada entre nós dois.
Não te sigo, não te escuto, não te tenho. Não quero que ninguém compreenda o que está acontecendo. O meu mutismo e a minha intolerância são tudo o que os outros podem ter.
Brinque comigo. Diga que pode ficar. Deixa eu ser o teu arrimo. Severino.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

...

Ontem bebi tanto que caí na rua - na verdade foi culpa de uma pedra solta na calçada - algumas pessoas me ajudaram - no muro o que me chamou a atenção foi: "Planejar o futuro é uma fuga."
Hoje, quando passei em frente, e o ônibus estava rápido demais, a frase havia desaparecido, tinta nova, ficou apenas na lembrança o trecho do poema,
ainda sinto a ressaca de teus beijos